Vai viajar? Veja dicas para fazer a revisão do carro

Um dos piores aborrecimentos possíveis para quem está viajando é ter problema com o carro. Seja por alguma falha técnica, pendências na documentação ou ausência de itens obrigatórios, o fato é que esse tipo de incidente pode ser capaz de acabar com o prazer de passar um feriado ou as férias em algum lugar de descanso. Por isso, reunimos aqui alguns cuidados básicos de revisão do carro para evitar ser pego de surpresa. A maioria deles é bem simples, toma pouco tempo e, mais importante, não custa muito. Sem contar que, mesmo gastando um pouco com prevenção, o motorista certamente irá economizar, em comparação com o que precisaria pagar para resolver a situação no meio da estrada.

Itens básicos
Há quanto tempo você não olha o estado do estepe, do triângulo, da chave de roda e do macaco do carro? Segundo
Jose Paulino Cavalho, chefe de oficina da Beto´s Car, como são pouco usados no dia-a-dia, esses itens precisam de atenção redobrada antes de viajar. “Em alguns carros, dependendo da posição onde está, o macaco pode até enferrujar, caso aconteça uma infiltração”, explica. Por isso, é bom testar o equipamento, junto com a chave de roda, e ver se ele está funcionando perfeitamente. Outra medida importante é ver a calibragem do pneu estepe. Como fica guardado muito tempo, a tendência é que ele perca ar. “O ideal é encher com duas libras a mais que a medida usada nos outros pneus”, aconselha Paulino.

Revisão mecânica
Se você segue o manual do proprietário, fazendo as revisões periódicas, Paulino garante que não há necessidade de levar o carro ao mecânico para fazer checagem extra. Nesse caso, segundo ele, o cuidado deve ser apenas com os componentes que serão mais exigidos na estrada, como as luzes (farois, pisca-pisca, pisca-alerta, luzes de freio e luz de ré). “Se tiver alguma queimada, é preciso ver se isso aconteceu pelo uso ou por algum problema na rede elétrica”, afirma o profissional. Outro item lembrado por ele é o limpador do para-brisa. Se a borracha estiver ressecada ou com falhas, uma noite com chuva forte pode virar um pesadelo na estrada.

Caso você não seja muito disciplinado e não esteja acompanhando o manual, é recomendável levar o carro para a oficina e verificar os seguintes itens: óleo do motor, correia dentada e o jogo de velas com os respectivos cabos ligados a elas. Segundo a NGK, fabricante de componentes automotivos, “velas de ignição com desgaste excessivo ou com funcionamento irregular podem causar dificuldades na partida do veículo, falhas durante retomadas, alto consumo de combustível e irregularidades no funcionamento”. Na melhor das hipóteses, velas com defeito irão resultar em um carro com pouca força na estrada, consumindo muito e esquentando demais. E em casos extremos, isso pode resultar em pane completa do motor.

Pneus
Já falamos do estepe, agora vamos aos que são efetivamente usados durante a viagem. Eles estão relacionados com três fatores importantes: segurança, conforto e consumo de combustível. Por isso é tão importante cuidar bem desses componentes. A primeira medida é verificar o alinhamento e o balanceamento. Depois, é preciso fazer a calibragem correta (o número de libras varia de acordo com cada modelo e geralmente está disponível em uma tabela fixada na lateral interna da porta do motorista). Para calibrar, uma informação importante: faça com os pneus ainda frios, procurando um posto que fique a até 3 km da sua casa. O motivo para isso é que com o atrito no solo, o pneu esquenta ao longo do tempo e dilata o ar, aumentando a pressão interna e impedindo a calibragem correta.

Freios
A maioria dos carros brasileiros tem freios a disco nas rodas dianteiras e a tambor nas traseiras. A revisão inclui, portanto, a verificação do estado das pastilhas dos discos e das lonas dos tambores. Além disso, é recomendável verificar a regulagem do freio de mão.

Documentação
Já pensou voltar para casa com uma multa ou de ônibus porque o carro ficou retido em uma blitz? Para evitar isso, o chefe de fiscalização do Detran-CE, Pedro Forte, informa que existem duas situações possíveis para o motorista enfrentar, caso tenha problemas. A mais grave delas é a retenção do veículo, que acontece em caso de licenciamento atrasado ou condutor sem carteira de habilitação (ou com categoria não apropriada para o tipo de veículo guiado). A outra é em casos de falta de equipamentos obrigatórios, como o macaco, ou componentes como defeito, como as luzes. Isso resulta em retenção temporária do veículo, que pode ser retomado caso o motorista corrija as falhas. Em ambas as situações, vale ressaltar, o veículo recebe multa.

Por fim, sempre é bom lembrar o óbvio: bebida alcóolica e direção não combinam. Além de resultar em multa, a embriaguez ao volante coloca em risco a vida dos ocupantes do carro e de outras pessoas.

 

Check Also

Fancup

Fancup: Chevrolet faz promoção para levar torcedores a Londres

A Chevrolet do Brasil está com inscrições abertas para a Fancup, promoção que levará quatro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *