Test-drive Renegade Trailhawk: 100% off road ou 100% urbano, você escolhe

Já dissemos por aqui que o Brasil, por suas muitas ruas e estradas precárias e pelo trânsito que ainda precisa melhorar um pouco em termos de civilidade, criou uma legião de fãs de carros altos com apelo off road. Daí o sucesso de linhas como Adventure, da Fiat, e Cross, da Volkswagen entre os consumidores, e dos SUVs de luxo, que reúnem conforto (e moral, pelo porte mais avantajado) para andar na cidade e mais sensação de segurança em uma eventual viagem com trilhas no caminho.

O sucesso do Jeep Renegade é perfeitamente compreensível por isso: ele é uma síntese dessa combinação entre trilha e cidade. E a versão top de linha Trailhwak, que tivemos oportunidade de dirigir por alguns dias em Fortaleza e arredores, é uma espécie de vitrine do que o carro pode reunir em termos de acessórios de tecnologia, off road e conforto.

Algumas qualidades do Renegade, como dirigibilidade, acabamento e sensação de robustez, já foram destacadas em matérias de test-drives que fizemos em outras versões do carro, como o 1.8 automático a gasolina, o Sport a diesel e o Longitude também a diesel. Agora pretendemos falar um pouco dos muitos recursos que equipavam o modelo que guiamos.

rene4
Versão top de linha chama a atenção pelo apuro nos detalhes de acabamento

Começando pelas características de carro urbano, como top de linha o Trailhawk vem com rodas em liga aro 17’’ e pneus 215/60 de uso misto, painel de instrumentos com tela de cristal líquida colorida’, alavanca do câmbio com revestimento em couro, espelho interno eletrocrômico (diminui a intensidade da luz que vem de carros que estão atrás e eventualmente ligados no farol alto, para evitar que o motorista fique ofuscado), sensor de chuva e acendimento automático dos faróis.

rene5
Exemplo da combinação de características urbanas e off road: logo abaixo dos botões do ar condicionado digital, o seletor do sistema de tração que adapta o carro para andar até na neve

Além disso, incorpora os itens de série do modelo Longitude 2.0 4×4, que está logo abaixo dele na tabela de preços. Entre eles estão computador de bordo (informações sobre distância, consumo médio, consumo instantâneo, autonomia, velocidade média e tempo de percurso), ar condicionado automático dual zone, câmera de estacionamento traseira, câmbio automático de 9 velocidades com borboletas para trocas de marcha no volante, sistema de navegação GPS, sensor de estacionamento traseiro, piloto automático, freio de estacionamento elétrico, espelhos retrovisores elétricos e sistema de áudio com 6 alto falantes , USB e Bluetooth.

A quantidade de itens de série é grande, como se pode ver (não enumeramos todos, a lista, completa pode ser conferida aqui). Além disso, o modelo que guiamos contava com todos os opcionais disponíveis. Entre eles merecem destaque o detector de pontos cegos (emite um sinal luminoso e outro sonoro quando o carro está em movimento e outro veículo é detectado nas laterais) o sistema de áudio com tela 6.5” touchscreen. Bluetooth, USB e sistema de reconhecimento de voz e o teto solar My Sky de duas aberturas.

Este último acessório merece um pouco mais de detalhamento pelas possibilidades de uso. Para o motorista que está no trânsito urbano e quer apenas curtir um pouco uma tarde ou noite mais ventilada, uma das tampas do teto pode ser aberta eletronicamente, sem muito trabalho. Para os mais dispostos a aventuras, é possível remover manualmente as duas tampas, deixando a parte de cima do carro quase toda descoberta.

Ainda falando sobre os espaços urbanos, o Renegade, por suas dimensões, altura do banco do motorista e leveza da direção elétrica, já não é um carro difícil de manobrar. A tarefa, no entanto, fica ainda mais fácil com o conjunto de sensores de distância presentes no modelo, que ajudam a ter noção de todo o entorno. Com eles, é preciso fazer muito esforço para bater ou arranhar o carro durante o estacionamento.

Indo agora para as características off road, vale ressaltar que a versão Trailhawk é a única que traz o selo “Trail rated”, uma especificação de qualidade da Jeep que atesta a capacidade do veículo de andar em trilhas de condições severas. Não chegamos, em nossa experiência, a nada extremo, mas tivemos oportunidade de coloca-lo em uma estrada de terra bastante maltratada.

imagem

O que pudemos observar é que o Trailhawk, por sua altura avantajada (o Renegade já é um veículo de suspensão elevada, de até 205 mm, e essa versão chega a 212 mm) faz o carro praticamente desconhecer as imperfeições. Além disso, o seguinte conjunto de recursos entra em ação na trilha:

– Controle de tração:ajuda a prevenir que as rodas patinem

– ABS off-road: capaz de detectar se o veículo está sendo dirigido em uma estrada irregular pelas oscilações dos sinais de velocidade das rodas, acionando um controle que suportará a pressão dos freios por pulsos mais longos)

– Sistema diferencial de travamento de freios: permite que o veículo mantenha o movimento para a frente caso uma ou duas rodas percam a tração, ao aplicar os freios às rodas em movimento de forma seletiva e agressiva

– Controle de acionamento acidental do acelerador: Permite ao motorista parar o veículo mesmo se o acelerador e o freio forem acionados simultaneamente por acidente. O controle do acelerador eletrônico reduz a potência de saída do motor até a parada do veículo ou a parada dos controles do pedal.

– Sistema de controle de tração de freio (BTCS): Ajuda a prevenir o deslizamento das rodas motrizes durante a aceleração a partir de uma parada ou durante velocidades lentas ao aplicar o freio à(s) roda(s) sem aderência.

– Controle eletrônico anticapotamento (ERM): Uma extensão do controle eletrônico de estabilidade (ESC). Utiliza as informações dos sensores do ESC para prever se o veículo corre o risco de sofrer uma possível situação de rolagem e aplica os freios individualmente e modula a posição do acelerador, conforme necessário.

Controle eletrônico de estabilidade (ESC): Melhora o controle do motorista e ajuda a manter a estabilidade direcional em todas as condições. Oferece benefícios em situações críticas de condução como manobras e é útil ao dirigir em condições de superfícies mistas, como terra, gelo ou cascalho. Se houver uma diferença perceptível entre o controle do motorista por meio do volante e o trajeto do veículo, o ESC aplica a frenagem seletiva e o controle do acelerador para orientar o veículo de volta ao trajeto pretendido pelo motorista.

Por tudo que experimentamos com todas as versões do Renegade, podemos dizer que ele tem um leque amplo de opções, tanto em termos de preço quanto de aplicação. E a Trailhwak é apropriada motoristas dispostos a aventuras realmente extremas de off road no fim de semana sem passar por desconforto durante a semana rodando na cidade.

 

Preço

Versão montada no site da Jeep para veículo semelhante ao que guiamos, com todos os opcionais disponíveis à exceção da pintura metálica: R$ 153.840,00

Check Also

Carros elétricos

Célula de combustível, picape de resgate: os carros elétricos da Renault-Nissan

A Nissan e a Renault, empresas pertencentes ao mesmo grupo, têm empreendido louváveis esforços no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *