Sem impostos, carro elétrico da Renault pode custar pouco mais de R$ 30 mil

Já comercializado em 35 países, o modelo elétrico Renault Twizy agora pode ser homologado e emplacado no Brasil sem imposto de exportação. Infelizmente, a legislação brasileira não mudou o suficiente para que tenhamos várias opções – como acontece em boa parte do mundo. Mas por suas dimensões reduzidas, o veículo se enquadra na categoria ciclomotor, definida na resolução nº 555, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada em 17 de setembro de 2015.

A resolução permitindo ao modelo circular apenas em vias urbanas. O Twizy tem 2,33 metros de comprimento e 1,18 m de largura e leva até dois passageiros. O motor 100% elétrico gera potência equivalente a 20 cv e tem autonomia de 100 km. Com a medida, o veículo poderia custar pouco mais de 30 mil reais no Brasil, já que seu preço na França é a partir de 7.240 euros.

A Renault tem quatro modelos elétricos no mercado: Zoe, Kangoo Z.E, Fluence Z.E e o próprio Twizy. Duas unidades do Twizy já rodam por praças e parques de Curitiba desde a Copa do Mundo de 2014. Na ocasião, a Renault e a Prefeitura de Curitiba firmaram uma parceria para a utilização do compacto, além de cinco unidades do Zoe e três do Kangoo Z.E, pela Guarda Municipal, Setran e Centro Móvel de Informações Turísticas. O projeto representa a primeira e maior parceria do País envolvendo utilização de veículos 100% elétricos no serviço público.

A Renault já comercializou mais de 130 unidades da sua gama Z.E. no Brasil, todas elas destinadas a instituições e empresas que desenvolvem projetos voltados ao uso e disseminação dessa tecnologia.

Twizy montado no Brasil
Em 2013, Itaipu e Renault assinaram um acordo de cooperação tecnológica prevendo a montagem de 32 Twizy a partir de 2014 no Centro de Pesquisa Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos de Itaipu (CPDM-VE/IB), em Foz do Iguaçu (PR). Os veículos são utilizados exclusivamente para estudos e trabalhos internos, dentro dos limites do complexo hidrelétrico.

Os 32 Twizys chegaram à Itaipu em regime SKD (semi knock down, na sigla em inglês) – ou seja, parcialmente desmontados. Na usina, o trabalho envolveu a integração do sistema de tração, bateria e motor elétrico, além da carroceria – totalizando aproximadamente 90 peças. A atividade mobilizou engenheiros e técnicos da matriz da Renault, na França, da fábrica do Twizy instalada em Valladolid, na Espanha, da fábrica da Renault em São José dos Pinhais, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e da própria binacional.

Mais elétricos no Uruguai
A UTE, companhia uruguaia de produção, transporte e distribuição de eletricidade, recebeu mais 30 Kangoo ZE em 19 de dezembro de 2015. Eles passam a integrar a frota da empresa, que já contava com 30 unidades E. que haviam sido entregues em 15 de julho último.

Os Kangoo ZE serão utilizados pela UTE para operações na capital, Montevidéu, e no interior do país. Os primeiros Kangoo ZE utilizados há um ano pela UTE já permitiram a redução de 36 toneladas anuais em termos de emissão de CO2 da frota de veículos utilizados pelo operador. Desde 2008, o Uruguai tem conduzido um amplo programa de diversificação de suas fontes de produção de eletricidade. Atualmente, 84% da eletricidade produzida no país provêm de fontes renováveis. O objetivo do governo é aumentar esta proporção para 95%, em parte graças ao desenvolvimento da energia eólica, que poderá chegar a um terço da produção da eletricidade total em 2016.

Check Also

Ford e Citroën anunciam novos modelos de carros elétricos

As montadoras sabem que o futuro será feito de modelos não poluentes, por causa da …

One comment

  1. Quando vai começar a vender ??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *