Malagrine

Test-drive com Mercedes-Benz GLA: características de SUV e de esportivo

É possível um SUV, veículo que tem entre suas principais características razoável altura em relação ao solo, ter comportamento de carro esportivo, mostrando pouca inclinação nas curvas e boa estabilidade em velocidades mais altas na estrada? A resposta é sim para essa pergunta, porque não há nada que um projeto eficiente de engenharia não consiga. Pudemos comprovar isso guiando o GLA, da Mercedes-Benz, gentilmente cedido pela concessionária Newsedan.

Já tínhamos falado aqui da experiência de andar por alguns dias com o A 200, e o GLA nos remeteu a ele em alguns aspectos: certa semelhança no painel, a solução eficaz de usar uma pequena alavanca para o câmbio na coluna da direção, liberando o console central para porta-objetos, e boa dirigibilidade no ambiente urbano. Já as diferenças começam no impacto que cada modelo causa nas ruas.

 

Enquanto o A 200 é um carro mais discreto, o GLA se impõe e atrai olhares e comentários. Seja pelo tamanho avantajado, as linhas frontais e laterais fortes ou os pneus de aro 18, o fato é que o carro tem “personalidade” e não passa batido aonde chega. Além disso, se o compacto A 200 já é rico em detalhes, o GLA tem muito mais deles e em mais evidência. Como, por exemplo, um acabamento prateado logo abaixo dos para-choques que parece deixar a carroceria mais encorpada e robusta. Ou suaves luzes nos bancos vazados. E, ainda, nos assentos brancos de couro combinado com tecido.

Tivemos oportunidade de andar bem com o GLA, incluindo uma viagem de aproximadamente 40 km na estrada e passando por alguns trechos de terra. Como um legítimo carro pensado por alemães, ele não mete medo de andar por nenhum terreno. Aqui, fala mais forte o lado SUV. Ele bate muito pouco e a suspensão passa sensação de firmeza mesmo nos buracos mais consideráveis.

Falando da condução do veículo, lembramos que o texto começou fazendo referência ao comportamento de esportivo que o GLA tem, mesmo sendo um SUV. Além do que já descrevemos, outro fator que contribui para isso é que o modelo tem teto mais rebaixado. Isso contribui para diminuir o centro de gravidade, deixando-o mais estável, e faz com que o interior seja mais envolvente. Os bancos em formato de concha também ajudam nessa tarefa, e o resultado é final é um habitáculo que agrada quem quer um carro alto, mas não gosta de uma área envidraçada que expõe demais os ocupantes.

A versão que guiamos do GLA foi a Advance (o modelo tem seis opções, veja todas no fim da matéria, com os respectivos preços). O motor que o equipa é o mesmo 1.6 do A 200, com 156 cv de potência. Ele tem comportamento predominantemente suave nas arrancadas. O carro tem três modos de condução: Sport, Eco e Manual. Tivemos oportunidade de guiar durante bom tempo nas duas primeiras. O Eco é ideal para o ambiente urbano e para longos trechos de estrada a velocidade quase constante. Vale ressaltar que nós acompanhamos a medição do computador de bordo e ele registrou, com o piloto automático fixo nos 80 km/h, a boa marca de 15 km por litro na medição instantânea.

Já no modo Sport, o motor ronca bonito, trocando de marcha rotações mais altas, e tem comportamento um pouco mais agressivo. Seja para diversão do motorista, caso ele, como nós, se reconheça como um apaixonado por motores, ou para garantir mais segurança nas ultrapassagens, o modo Sport também apresentou sua utilidade. Mas é fato que no ambiente urbano o melhor é usar o Eco, já que a sensação de esportividade e de “carro agarrado no chão” é passada por outros fatores. Fazendo isso, o motorista garante a boa dirigibilidade e economiza combustível.

Assim como o A 200, o GLA que guiamos apresentou os atributos de um legítimo Mercedes-Benz: robustez, apuro nos mínimos detalhes de acabamento, projeto eficiente de engenharia e design e um motor com bom desempenho para rodar na cidade ou na estrada. E entre os atributos próprios do modelo, o que mais nos chamou a atenção (e agradou) foi a capacidade de combinar características de esportivo e de SUV.

Versões e preços (R$)

Style – 132.000,00
Advance – 145.000,00
Vision – 165.000,00
250 Vision – 178.000,00
250 Sport – 195.000,00
45 AMG – 300.000,00

Check Also

Carros elétricos

Célula de combustível, picape de resgate: os carros elétricos da Renault-Nissan

A Nissan e a Renault, empresas pertencentes ao mesmo grupo, têm empreendido louváveis esforços no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *