Golf fabricado no Brasil custa de R$ 74.590 a R$ 117.690

A sétima geração do Golf, agora produzida na fábrica da Volkswagen em São José dos Pinhais (PR), traz novos recursos de tecnologia, além de ter sua oferta de equipamentos reestruturada. O Golf 2016 chega às concessionárias em fevereiro como o primeiro modelo nacional a ser equipado de série, em todas as versões, com sete airbags, controle de tração, controle eletrônico do diferencial, controle de estabilidade e freios com Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão.

Entre as principais novidades estão os novos conjuntos mecânicos, que passam a contar com motores 1.4 TSI BlueMotion Technology Total Flex de 150 cv (versão Highline) e o novo motor 1.6 MSI Total Flex de 120 cv (versão Comfortline), que podem ser associados às transmissões manuais de cinco e de seis marchas, além da caixa automática com seis velocidades com função Tiptronic.

Outro destaque são os novos sistemas de infotainment com a tecnologia Volkswagen App-Connect, que reúnem os sistemas MirrorLink, Apple CarPlay e Google Android Auto. Há, ainda, a estreia da grife “Fender” para o sistema de som do Golf GTI, que também passa a contar com novos equipamentos, como as rodas de liga leve de 18 polegadas com estilo “Austin”. O Golf GTI é oferecido com o conjunto mecânico formado pelo motor 2.0 TSI de 220 cv e a transmissão DSG automática de seis marchas com função Tiptronic.

ComfortComfortline
Modelo de entrada, o Golf Comfortline tem foco na relação custo-benefício, já contando de série com equipamentos muito valorizados pelos clientes. Com segurança máxima em segurança para adultos e crianças, o modelo Comfortline traz uma série de recursos de segurança, como: sete airbags (dois frontais, dois laterais nos bancos dianteiros, dois laterais do tipo cortina e um de joelho para o motorista), cintos de segurança automáticos de três pontos em todos os assentos, controle de tração (ASR), controle de estabilidade (ESC), bloqueio eletrônico do diferencial (EDS e XDS) distribuição eletrônica de frenagem (EBD), faróis de neblina com luz de conversão estática, sistema Isofix de fixação de cadeirinha de criança com top tether (que permite a fixação da parte superior da cadeirinha) e freios com Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão.

O Sistema de Frenagem Automática Pós-Colisão aciona automaticamente os freios do veículo quando ele se envolve em uma batida, para reduzir a energia cinética residual. O acionamento do sistema de frenagem pós-colisão se baseia na detecção da colisão inicial pelos sensores dos airbags.

O sistema aplica os freios até que o veículo atinja a velocidade de 10 km/h. A velocidade residual do carro pode ser usada para conduzi-lo a um local seguro. O motorista pode se “sobrepor” ao sistema a qualquer momento – se os sensores perceberem que o motorista está acelerando, por exemplo, o sistema é desligado. O recurso automático também é desativado se o motorista começar a frear fortemente, a um grau de desaceleração mais elevado.

O Golf Comfortline 2016 também traz como equipamento de série direção elétrica, ar-condicionado, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico e função “um toque”, sistema de infotainment “Composition Media” com tela sensível ao toque de 6,5”, travamento central por controle remoto e rodas de liga leve de 16”, freio de estacionamento com o sistema “Hill Assist”, sensores de aproximação de obstáculos na dianteira e na traseira (“Park Pilot”) e retrovisores externos com ajuste elétrico, aquecíveis, com luz de seta integrada (side blinker) e função “tilt down” complementam a lista de série.

O modelo Comfortline é equipado com o novo motor 1.6 MSI, que pode ser associado a duas transmissões. A versão manual, com cinco marchas, traz a transmissão MQ250. O modelo automático conta com a caixa AQ160, com seis marchas e função Tiptronic. Ambas as transmissões contam com relações de marchas que privilegiam o conforto e o prazer ao dirigir, sem abrir mão da robustez e do padrão de qualidade do Grupo Volkswagen.

Com a transmissão manual, o Golf Comfortline acelera de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos e tem velocidade máxima é de 188 km/h (dados com E100). Já na versão automática, a velocidade máxima de 184 km/h é alcançada em quinta marcha e a aceleração de 0 a 100 km/h é realizada em 11,6 segundos (dados com etanol).
O novo motor 1.6 MSI Total Flex é produzido em São Carlos, no interior de São Paulo, e também pertence à família EA211. Ele foi desenvolvido segundo critérios de maior eficiência energética e maior performance. Por isso optou-se pela configuração de quatro cilindros e 16 válvulas (4 válvulas por cilindro). Com 1.598 cm³ de cilindrada, o novo motor 1.6 MSI utiliza o sistema de partida a frio que dispensa a utilização do tanque auxiliar para gasolina.

Com a tecnologia Total Flex, ele é capaz de rodar com gasolina, etanol ou a mistura dos dois combustíveis em qualquer proporção. Sua potência máxima é de 120 cv (88 kW) a 5.750 rpm, quando abastecido com etanol (E100), e de 110 cv (81 kW) à mesma rotação, com gasolina (E22). O torque máximo é de 16,8 kgfm com etanol e 15,8 kgfm com gasolina, ambos a 4.000 rpm.
O novo motor 1.6 MSI Total Flex possui bloco e cabeçote feitos de alumínio, o que colabora para reduzir o peso do conjunto. O cabeçote do novo motor 1.6l MSI possui comando de admissão variável e coletor de escape integrado, formando uma peça única, com refrigeração líquida.
Outra solução inovadora adotada no novo motor 1.6 MSI Total Flex é o duplo circuito de arrefecimento, que permite temperaturas diferentes para o bloco e para o cabeçote – o sistema utiliza duas válvulas termostáticas.

highHighline
Versão intermediária, o Golf Highline 2016 é equipado com o 1.4 TSI BlueMotion Technology Total Flex de 150 cv. De série, o Golf Highline acrescenta ao conteúdo da versão Comfortline” ar-condicionado digital Climatronic (com duas zonas de resfriamento), bancos de couro, lanternas de LED, volante multifuncional com controles do computador de bordo e dos sistemas de som e telefonia, sensores de chuva e de luminosidade com “Coming Leaving & Home”, entre outros.

O Golf Highline também traz de série o sistema Start-Stop e, sempre que equipado com transmissão automática, conta com aletas de troca de marcha atrás do volante (shift paddles).

O modelo pode ser equipado também com faróis de xenônio e sistema de seleção do perfil de condução. Há um total de quatro modos de condução disponíveis: Eco, Sport, Normal e Individual. No perfil de direção Eco, por exemplo: os gerenciamentos do motor, transmissão, ar-condicionado e outros sistemas auxiliares são controlados para alcançar o máximo de eficiência no consumo de combustível.

Bloqueio eletrônico do diferencial (EDS + XDS). Tecnicamente, o bloqueio eletrônico do diferencial (EDS + XDS) está integrado ao Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) para melhorar a dinâmica do veículo. O bloqueio do diferencial é ajustado especificamente para cada modelo Volkswagen.

O sistema melhora a agilidade do veículo e reduz a necessidade de aplicar acentuado ângulo de esterço no volante para que entre em ação a frenagem nas rodas internas à curva em ambos os eixos. Isso significa que a força de frenagem aplicada colabora para que se mantenha um ângulo de esterço próximo ao de um veículo trafegando normalmente.

O recurso também colabora para reduzir sensivelmente o subesterço (saída de frente), melhorando a tração. Em adição a isso, o bloqueio do diferencial atua sobre qualquer condição de piso, resultando em dirigibilidade mais precisa.

Sistema “Pro Active” (Proteção proativa dos passageiros). Caso o sistema proativo de proteção aos ocupantes detecte uma situação de potencial acidente – como pelo início de uma forte frenagem por meio da ativação de um assistente de frenagem – os cintos de segurança do motorista e do passageiro da frente são automaticamente pré-tensionados para assegurar a melhor proteção possível pelo airbag e sistema de cintos. Quando uma situação de condução altamente crítica e instável é detectada as janelas laterais (deixando uma pequena abertura) e o teto solar são fechados. Resultado: mais segurança.

ACC – Adaptive Cruise Control (Controlador adaptativo de distância e velocidade). O sistema usa um sensor de radar integrado à dianteira do veículo. O ACC mantém uma velocidade pré-selecionada e uma distância definida do veículo à frente, freando ou acelerando automaticamente, seguindo o fluxo do trânsito (de maneira que a distância sempre prevalece sobre a velocidade, garantindo a segurança).

Front Assist. O sistema de monitoramento frontal “Front Assist” funciona como o ACC com o sensor de radar integrado à frente do veículo, que monitora permanentemente a distância do tráfego à frente. Mesmo com o ACC desligado, o Front Assist ajuda o motorista em situações críticas pré-condicionando o sistema de freios e alertando o condutor por meio de sinais visual ou sonoro quando for necessária uma reação. Caso o motorista não freie forte o suficiente, o sistema automaticamente gera força de frenagem para tentar evitar uma colisão.
O Front Assist diminui a velocidade do carro de forma que, em condições ideais, a velocidade de um possível impacto seja minimizada. O sistema também auxilia o motorista dando um sinal caso o carro se aproxime demais do veículo à frente. A função City Emergency Brake (frenagem urbana de emergência) faz parte do Front Assist.

City Emergency Brake (Frenagem Urbana de Emergência). A função City Emergency Brake é uma extensão do sistema Front Assist, que, por meio de um sensor de radar, varre a área à frente do carro. Se houver perigo de colisão com um veículo trafegando ou parado à frente do carro e o motorista não reagir, o sistema de freios é pré-condicionado da mesma forma que com o Front Assist.

Se for necessário, a função City Emergency Brake inicia a aplicação total dos freios para diminuir a gravidade do impacto. Além disso, se o motorista deixar de pressionar o pedal do freio de forma suficiente, o sistema irá ajudar gerando o máximo de força de frenagem.

Detector de fadiga. Esse sistema detecta a perda de concentração do motorista e o alerta por meio de um sinal sonoro durante cinco segundos. Uma mensagem visual também aparece no painel de instrumentos, recomendando uma parada para descanso. Se o motorista não parar dentro dos próximos 15 minutos, o aviso é repetido.
Logo no início de cada viagem, o sistema analisa vários fatores, inclusive o comportamento individual do motorista ao volante. Durante a viagem, o sistema de detecção de fadiga avalia continuamente vários sinais, como o ângulo de esterço do volante. Se os dados do monitoramento indicarem um desvio do comportamento registrado no início da viagem, são acionados os sinais sonoro e visual.
Independentemente do monitoramento, sempre que o sistema é ativado recomenda ao motorista um intervalo para descansar após quatro horas contínuas de direção.

FLA – Front Light Assist (Assistente de luz para farol alto). Sistema opera ativando ou desativando automaticamente o facho alto do farol. O FLA analisa o tráfego à frente do Golf ou em sentido contrário por meio de uma câmera instalada no para-brisa e automaticamente controla a ativação do farol alto. O sistema opera a partir da velocidade de 60 km/h.

Park Assist 2.0. A mais nova versão do sistema de assistência ao estacionamento agora facilita parar não apenas em vagas paralelas à via, mas também parar de ré em vagas perpendiculares. Adicionalmente, o Park Assist 2.0 também é equipado com função de frenagem e saída da vaga de estacionamento.
O sistema pode ser ativado a até 40 km/h pelo botão no console central. Utilizando o indicador de direção (seta), o motorista seleciona de que lado quer estacionar o carro. Se o Park Assist detectar uma vaga com tamanho suficiente, usando sensores de ultrassom, (40 cm de espaço para manobra à frente e atrás do carro são suficientes), o estacionamento assistido pode ter início: tudo o que o motorista precisa fazer é engatar a macha à ré e usar os pedais do acelerador e freio.
O sistema controla a direção automaticamente. O motorista é orientado também por “bipes” e informações visuais no display.

GTIGTI
Uma das grandes novidades da linha 2016 do Golf GTI é a oferta das rodas de liga leve de 18 polegadas com estilo “Austin”. Calçadas com pneus 225/40 R18, as novas rodas são diamantadas a têm a parte interior das hastes escurecidas. Outra estreia na linha Golf no mercado nacional é a “grife” Fender, de altíssima fidelidade sonora. Trata-se do primeiro modelo fabricado no Brasil a ser equipado com esse sistema de som.
O sistema de som Fender consiste de dois tweeters instalados nos triângulos dos espelhos das portas e mais dois na forração traseira. Eles são equipados com ímãs de neodímio e cones de tecido. Nas portas dianteiras ficam os woofers com duas bobinas de voz. Também há woofers nos painéis de acabamento traseiros, com bobinas simples. Um subwoofer com bobina dupla também é colocado numa caixa de graves integrada ao porta-malas do carro. A peça central do sistema de som é um amplificador de 10 canais, com amplificadores de potência Classe A/B e 400 Watts.

A oferta de opcionais também foi adaptada para melhor atender o consumidor brasileiro. Agora, é possível acrescentar praticamente todos os itens adicionais do Golf GTI mantendo o acabamento de tecido Xadrez Clark (Grafite) nos bancos e painéis de porta. O revestimento em Couro Vienna Preto está disponível no pacote “Sport”, que inclui as novas rodas de 18 polegadas e o ajuste elétrico do banco do motorista.

O Golf GTI se distingue dos outros carros da série por vários itens adicionais e pelo emblema GTI. No exterior, eles incluem pinças de freios exclusivas na cor vermelha e lanternas traseiras com iluminação em LED, assim como ponteira do escapamento, (uma à direita e outra à esquerda) com “design GTI”. Também de série no Golf são as rodas de liga leve aro 17 – “Brooklin” com pneus 225/45 R17.

O Novo Golf GTI é equipado com um avançado motor a gasolina, com 1.984 cm3 de cilindrada, turboalimentado e com injeção direta. A potência é de 220 cv a 4.500 rpm e o torque máximo de 35,7 kgfm (350 Nm) está disponível já a 1.500 rpm. Resultado: a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em 7,2 segundos e a velocidade máxima é de 237 km/h.

Direção progressiva. Esse sistema permite aos condutores fazer curvas com menor movimentação do volante. Com a direção progressiva, são necessárias apenas 2,1 voltas (380°) no volante de batente a batente. No sistema tradicional, nas versões Comfortline e Highline, é preciso 2,75 voltas (500°). Explicação: os sistemas de direção convencionais trabalham com uma relação de redução constante. A nova direção do Golf GTI opera com relação de redução progressiva. Isso diminui o trabalho do volante perceptivelmente em manobras e ao estacionar. Em estradas secundárias, com muitas curvas fechadas, ou ao fazer curvas rápidas, o motorista sente uma melhoria no comportamento do carro, graças às respostas mais diretas.

Tecnicamente, a direção progressiva difere do sistema de direção comum pelo espaçamento variável dos dentes da cremalheira e do pinhão e por ter um motor elétrico mais potente. Em termos de funcionamento, diferentemente da relação de direção constante, que necessariamente representa um compromisso entre o desempenho e o conforto, os dentes da cremalheira são modificados pela ação do volante. Isso resulta em uma condução mais precisa e tranquila no intervalo entre velocidades médias e altas. Graças aos menores ângulos de esterçamento necessários, o sistema proporciona maior agilidade e maior diversão ao volante em estradas com muitas curvas.

Bloqueio eletrônico do diferencial “EDS e XDS”. O bloqueio eletrônico do diferencial XDS+ é uma função integrada ao controle eletrônico de estabilidade (ESC) para melhorar o comportamento dinâmico do carro. O XDS+ é uma evolução do XDS. Sua atuação também cobre as situações em que o carro não está sendo freado.
O sistema aumenta a agilidade e diminui a necessidade de movimentação do volante por meio de intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos dois eixos. Além disso, o XDS+ funciona com quaisquer condições de aderência do piso. Isso resulta em uma dirigibilidade mais precisa.

ESC Sport. O sistema é acionado por um botão de dois estágios no console central. Se o motorista pressionar o botão uma vez, ele desativará a função ASR (controle de tração). Quando o botão é pressionado por mais de três segundos, o ESC muda para o modo “ESC Sport”. Em percursos muito rápidos, com muitas curvas, como em pistas de corridas, o sistema ESC irá reagir com retardo, o que permite elevar a agilidade na condução. Além da ativação pelo botão no console, o ESC também pode ser ligado ou desligado no do menu “CAR”.

 

Veja os preços do novo Golf

Comfortline 1.6l MSI Total Flex Manual R$ 74.590
Comfortline 1.6l MSI Total Flex Automático R$ 79.990
Highline 1.4l TSI Total Flex Manual R$ 91.290
Highline 1.4l TSI Total Flex Automático R$ 96.690
GTI 2.0l TSI DSG R$ 117.690

Check Also

Suzuki Off-Road

Suzuki Off-Road começa neste sábado em SP. Etapa em Fortaleza será em agosto

No próximo sábado, 8 de abril, a cidade paulista de Itupeva receberá a abertura do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *