BMW

Caminhões elétricos e robôs autônomos: como a BMW irá transportar autopeças

Todos os dias, um total de 30 milhões de peças precisam ser entregues para que cerca de 9.000 novos veículos possam ser produzidos nas 31 localizações de produção do BMW Group em todo o mundo. Para agilizar sua logística, a empresa está investindo em inovação, digitalização e sustentabilidade. Uma cadeia de fornecimento totalmente em rede, robôs de transporte autônomos e o uso de informações de veículos existentes para o processo de entrega estão entre as novidades.

“A logística é o coração do sistema de produção da BMW – e o uso de tecnologias inovadoras e digitais se tornará um fator chave em nossos complexos processos. Ao mesmo tempo, soluções sustentáveis e eficientes em termos de recursos também são importantes para nós. Já estamos testando as tecnologias do futuro em toda uma série de projetos-piloto”, afirma Jürgen Maidl, diretor de logística da rede de produção do BMW Group.

De óculos de realidade aumentada a sistemas de transporte autônomos para caminhões movidos a eletricidade, o conglomerado está testando uma grande variedade de tecnologias e inovações. “Temos uma visão clara do futuro e já estamos explorando as tecnologias de amanhã. Identificamos potencial para inovação em todas as fases do processo de logística, desde a entrega de peças em nossas fábricas até a entrega de veículos novos para revendedores em todo o mundo”, Marco Prüglmeier, gerente de projetos de inovação e indústria 4.0 para a logística de entrada do BMW Group.

Frota de robôs autônomos BMW

Uma frota inicial de dez Smart Transport Robots (STR) autônomos irá transportar componentes através da logística na fábrica de Wackersdorf, na Alemanha. A principal novidade é que o robô de transporte auto-motriz não precisa de loops de indução montados no chão para a navegação. Ele se move livremente através da sala de logística, alimentado de forma sustentável por baterias pré-usadas do BMW i3 e é capaz de transportar containers pesando até 500 kg. O STR mede a distância, calcula sua posição exata e rota.

Usando sensores para identificar e reagir a situações críticas, ele é capaz de compartilhar a rota com seres humanos e outros veículos. Após cinco meses de operação do protótipo, o projeto será transferido para a produção pré-série, onde os dez STR’s serão usados pela primeira vez em operações diárias e realizarão atribuições de transporte de forma independente. Na próxima fase de desenvolvimento, um sistema de câmera 3D permitirá uma navegação ainda mais precisa. O BMW Group lançou este projeto em conjunto com o Fraunhofer Institut IML em Dortmund.

Caminhões elétricos BMW

Em cooperação com os prestadores de serviços de logística, os caminhões elétricos já estão sendo utilizados nas estradas em Munique e Leipzig, fazendo entregas locais. O objetivo inicial é conhecer melhor as diferentes tecnologias de acionamento e ganhar experiência. A longo prazo, o BMW Group está se empenhando para obter melhor relação custo-benefício na utilização de tecnologias alternativas de condução.

Dados de realidade aumentada do Google para apoiar o pessoal de logística

Os óculos de dados de realidade aumentada utilizados pela equipe de funcionários da logística sinalizam à pessoa que classifica as peças onde encontrar o item solicitado e onde colocá-lo. Em outro cenário, o uso de óculos de dados vai ainda mais longe: A parte para classificação é visualmente registrada pelos óculos de dados e é submetida a uma verificação de qualidade ótica.

Em paralelo, as informações de imagem são comparadas em segundo plano com um banco de dados previamente compilado. Dentro de alguns milissegundos, o sistema relata se o componente é impecável. Usando a inteligência artificial, os óculos de dados são capazes de reconhecer diferentes tipos de defeitos de forma independente.

Sustentabilidade: transporte ferroviário reduz as emissões de CO2

A logística ajuda o BMW Group a atingir seus objetivos de sustentabilidade, focando em expandir continuamente a porcentagem de transportadoras eficientes em termos de CO2. Uma medida para reduzir as emissões de CO2 é aumentar o transporte ferroviário. Hoje, por exemplo, mais de 60% de todos os veículos novos saem de nossas fábricas por ferrovia.

Os trilhos também desempenham um papel importante no fornecimento das fábricas com materiais de produção. Por exemplo, um comboio com peças de veículos de Ratisbona e Leipzig que vão com o trem transiberiano para o norte da China duas vezes por semana, transportando cerca de 2.500 contêineres por ano com peças de veículos para Shenyang, a quase 11.000 quilómetros de distância.

Com um tempo de trânsito de menos de 20 dias, estes comboios diretos são mais do dobro do que a combinação de transporte marítimo e transporte através do interior chinês, com aproximadamente as mesmas emissões de CO2. Usando os trilhos, é possível responder com antecedência às flutuações de produção e ordens de acompanhamento, sem necessidade de transporte aéreo. Esta opção de transporte alternativo reduziu significativamente os custos e as emissões de CO2 para entregas urgentes para as fábricas chinesas da empresa nos últimos anos.

Check Also

Ford anuncia investimentos para aumentar integração de carros e smartphones

A Ford está investindo em novos aplicativos para uso com o sistema de conectividade SYNC …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *