BMW e Intel prometem carros totalmente autônomos a partir de 2021

O BMW Group, a Intel e a Mobileye uniram forças com o propósito de desenvolver veículos totalmente autônomos e transformar em realidade conceitos de mobilidade para o futuro. As três líderes em suas respectivas áreas de atuação – indústria automotiva, tecnologia e sistemas de orientação para veículos auto-guiados – estão cooperando para criar soluções voltadas para condução totalmente autônoma, e que devem chegar às linhas de produção de automóveis em 2021.

Esta plataforma irá contemplar a direção automatizada de níveis 3 a 5, sendo esta última 100% isenta de intervenção humana. Posteriormente, ela será disponibilizada a fabricantes de automóveis e outras empresas que podem se beneficiar de máquinas autônomas ou de inteligência artificial.

Pelo acordo de cooperação, as três companhias estabeleceram um conjunto de metas e resultados, entre eles conceber automóveis totalmente independentes baseados em uma arquitetura em comum. No curto prazo, as empresas se comprometeram a apresentar um protótipo de condução altamente automatizada (HAD – Highly Automated Driving, em inglês). A partir de 2017, novos protótipos serão desenvolvidos e frotas deste tipo de veículo realizarão testes prolongados.

BMW iNEXT será o primeiro modelo autônomo

Juntamente com a Intel e a Mobileye, o BMW Group se comprometeu a criar soluções necessárias e sistemas inovadores para a condução altamente automatizada, com o objetivo de tornar essas tecnologias aptas para produção em série a partir de 2021. O carro-conceito BMW iNEXT servirá como base para a estratégia de condução autônoma do BMW Group e definirá o modelo para frotas de veículos totalmente autônomos, não só para as rodovias, mas também em ambientes urbanos como proposta para compartilhamento de veículos.

O BMW Group, a Intel e a Mobileye estão convencidos de que as tecnologias de condução autônoma tornarão as viagens mais seguras e fáceis. O objetivo da parceria é desenvolver soluções atemporais capazes de permitir aos motoristas não só a tirar as mãos do volante, mas tirar os olhos (nível 3) e, finalmente a mente (nível 4) da estrada, transformando o tempo gasto dentro de um carro em lazer ou parte do trabalho. Este nível de autonomia permitiria que o veículo atinja a meta final de se deslocar sem intervenção humana. Isto estabeleceria uma oportunidade para frotas de veículos totalmente autônomos a partir de 2021, o que estabeleceria as bases para novos modelos de negócios em um mundo amplamente conectado.

Check Also

Le Square

Renault cria Le Square, laboratório de inovação em Paris

Depois das unidades do Silicon Valley, nos Estados Unidos, e de Tel Aviv, em Israel, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *